Logomarca do projeto, criada pelo artista Guto Lacaz

Fazenda Sant’Anna de Monte Alegre, São Carlos, SP

Praia Brava, Ubatuba, SP | EcoMúsica Mata Atlântica

Praia Vermelha do Sul, Ubatuba, SP | EcoMúsica Mata Atlântica

O projeto EcoMúsica, concebido e protagonizado pelo pianista Fábio Caramuru, consiste em uma série de filmes artísticos e apresentações temáticas norteadas pela interação entre música, sons e imagens da natureza brasileira. O projeto tem o apoio oficial do Ministério do Meio Ambiente e será desenvolvido em diversas etapas, ao longo dos próximos anos, apresentando-se como uma iniciativa cultural fortemente atrelada à revelação dos aspectos dos ecossistemas brasileiros. Os dois primeiros temas a serem realizados são EcoMúsica Natureza Brasileira (Ecossistemas) e EcoMúsica Mata Atlântica.

“Existe algo mais gratificante e recompensador para um artista do que reunir suas grandes paixões em um único projeto? Esse é meu estado de espírito ao estar completamente envolvido com o projeto de toda uma vida: o EcoMúsica. O projeto nasceu quando estive pela primeira vez na fazenda Sant’Anna de Monte Alegre, na cidade de São Carlos, coração do estado de São Paulo, convidado pelos proprietários da fazenda para fazer um concerto, juntamente com o contrabaixista Pedro Baldanza. A região é muito característica, pois ainda guarda fortes traços dos áureos tempos das fazendas de café. Com diversas edificações do século XIX, criteriosamente restauradas, a fazenda exibe um dos mais belos projetos de paisagismo que conheço, preservando árvores frondosas centenárias, pomares de jabuticabeiras, pitangueiras, mangueiras e outras tantas frutas, extensos e repousantes gramados, fontes, cursos d’água, instigantes paginações de pisos externos e, como se não bastasse, ainda abriga um posto de recuperação de aves silvestres, monitorado pelo IBAMA. Inúmeras espécies de aves, como araras, papagaios, tucanos, corujas, entre outras – após serem tratadas em viveiros – são devolvidas à natureza, mas, como o lugar é realmente paradisíaco, muitas delas continuam circulando pela região, surpreendendo as pessoas que visitam a fazenda. Ali, é muito comum ser presenteado com a inesperada aparição de uma arara azul no banco em que você está sentado, apreciando a paisagem. Ainda mais agradável é ouvir a algazarra multi sonora daquele bando de aves circulando livres e tão próximas, íntimas como se fossem amigas de longa data. Voltando para o motivo da minha visita à fazenda, nossa apresentação foi realizada em uma sala de concertos especial, uma antiga tulha restaurada, muito bem equipada com um piano de cauda e uma vista de tirar o fôlego. Como músicos brasileiros e improvisadores que somos, logo imaginamos como seria a experiência de realizar um trabalho artístico interagindo com tudo aquilo. Vislumbramos temas inéditos que poderiam surgir mesclados àquela exuberância de sonoridades das aves e da natureza, bem como a beleza das locações. Imaginei levar um piano para interagir com todos aqueles sons e paisagens, realizando um registro cinematográfico inédito. Assim nasceu um projeto artístico a ser desenvolvido a longo prazo e em diversas edições, focalizando diferentes temas e ecossistemas brasileiros. Em abril de 2016, concretizei a ideia, lançando o videoclipe “Cigarra”, gravado naquela locação, com direção de Babu Baia e câmeras a cargo de Ugo Soares Araújo. O tema integra o CD “EcoMúsica | Conversas de um piano com a fauna brasileira”, lançado em 2015. O filme foi exibido publicamente pela primeira vez na Sala São Paulo e pode ser visto abaixo”:

Embora tenha tido uma formação musical erudita, sempre fui um artista inquieto, com um grande desejo de liberdade, não me contentando em atuar como a maior parte dos pianistas tradicionais, somente reproduzindo o repertório padrão que é atrelado ao rigor e à partitura. Nos últimos anos, minha atuação nos palcos e nos estúdios de gravação vem sendo norteada pela busca da espontaneidade de uma “música viva”, acontecendo verdadeiramente em tempo real, interagindo completamente com a circunstância em que ela é produzida. Percebo que o Projeto EcoMúsica vem à tona nesse momento para que eu possa me expressar artisticamente, em plena maturidade, integrando três grandes paixões: a música, a natureza e o cinema.

Já estão delineadas as duas primeiras edições do projeto – EcoMúsica Natureza Brasileira (a ser realizado nos diversos ecossistemas de nosso país) e EcoMúsica Mata Atlântica, focalizando a mata e as praias da região de Ubatuba, litoral norte do estado de São Paulo. As produções deverão ser concretizadas nos próximos anos, a depender de sua viabilização financeira mediante captação de recursos. Gravaremos uma série de filmes e realizaremos turnês de divulgação, com concertos interativos por diversas cidades brasileiras. As esmeradas produções em HD, incluindo os roteiros, deverão ser dirigidas por diretores sensíveis à temática. A identidade visual do projeto é de autoria do artista Guto Lacaz. Todas as trilhas musicais serão criadas especialmente para cada ocasião, interagindo verdadeiramente com os sons dos animais locais, podendo haver, em algumas delas, a participação de músicos convidados.

O projeto está habilitado para receber recursos de patrocínio com incentivo fiscal federal da lei Rouanet e do ProAC-ICMS (Estado de São Paulo). São inúmeras as contrapartidas oferecidas aos patrocinadores, mas, institucionalmente falando, é certo que aqueles que investirem no projeto terão grandes chances de agregar uma imagem bastante positiva às suas marcas.

Do ponto de vista do marketing cultural, os DVDs, sua veiculação nas TVs, bem como os concertos interativos, realizados pelo Brasil, foram pensados para instituições que buscam apoiar a cultura brasileira atrelando sua imagem ao conceito de desenvolvimento sustentável. O projeto, que conta com o apoio oficial do Ministério do Meio Ambiente, une música brasileira de grande sensibilidade à defesa da ecologia, em uma iniciativa artística criativa e pioneira. Os temas EcoMúsica Amazônia, Pantanal, Mata Atlântica, Semi-árido e Cerrado figuram, portanto, entre os próximos a serem realizados brevemente. É estimulante a percepção de que o Projeto EcoMúsica poderá contribuir positivamente para a melhora da autoestima do Brasil, mostrando um lado rico e sublime de nosso país.

Fábio Caramuru é pianista, arranjador, produtor e arquiteto. Sócio da Echo Promoções Artísticas, foi o último aluno da consagrada pianista Magda Tagliaferro, com bolsa do governo francês, em Paris, na década de 1980. Desenvolve uma carreira artística marcada pela criatividade e versatilidade.