Água de beber, de Tom Jobim e Vinicius de Moraes, interpretada por Fábio Caramuru

“(…) essa música foi escrita em Brasília, quando os dois (Tom Jobim e Vinicius de Moraes) foram convidados por Juscelino para compor a Sinfonia de Brasília, e a cidade ainda estava em construção, em 1959. Estavam caminhando pela rua e ouviram um barulho de água; foram ver o que era e uma pessoa falou pra eles: “é água de beber, camará”. (texto por Wagner Amorosino)

As fotos da chapada dos veadeiros foram feitas pelo pianista Fábio Caramuru, em 2011

Água de beber (Tom Jobim e Vinicius de Moraes)

Eu quis amar, mas tive medo
E quis salvar meu coração
Mas o amor sabe um segredo
O medo pode matar o seu coração

Água de beber
Água de beber, camará
Água de beber
Água de beber, camará

Eu nunca fiz coisa tão certa
Entrei pra escola do perdão
A minha casa vive aberta
Abri todas as portas do coração

Água de beber
Água de beber, camará
Água de beber
Água de beber, camará

Eu sempre tive uma certeza
Que só me deu desilusão
É que o amor é uma tristeza
Muita mágoa demais para um coração

Água de beber
Água de beber, camará
Água de beber
Água de beber, camará

Fonte: https://www.vagalume.com.br/tom-jobim/agua-de-beber.html