Notwithstanding his high level of training and credentials as a young pianist, Caramuru first began his professional career as an architect. It was not too long, however, before he exchanged architecture for music. After being granted a scholarship by the French Government in 1980, Caramuru moved to Paris where he studied under the supervision of the great Brazilian-French pianist Magda Tagliaferro. After his return to Brazil, Caramuru undertook a position at the board of directors of the Magda Tagliaferro Foundation in São Paulo.

His many musical projects included Camargo Guarnieri and Magda Tagliaferro festivals, a project about the history of the Brazilian music and several records, among which an album about Brazilian composers, and his own piano solo arrangements on Tom Jobim‘s songs. In 2005, the French pianists Katia and Marielle Labèque performed Tom Jobim’s Chovendo na Roseira, the first of a series of arrangements for two pianos, written by Fábio Caramuru.

He formed the Duo Caramuru/Baldanza with the bass player Pedro Baldanza, and, later, they worked with the singer Magda Painno, starting classical, jazz, popular and even folkloric performances. Among Caramuru’s outstanding appearances are a Concert with Minas Gerais Philharmonic Orchestra (Stravinsky), São Paulo Symphonic Brass Orchestra (Tom Jobim), São Paulo University Symphonic Orchestra (Poulenc) and Jazz Symphonic Orchestra, the latter performing special arrangements of Nino Rota’s and Richard Rodgers‘ movie soundtracks; concerts with the singers Fernando Portari and Magda Painno; the release of the double-CD Piano – Tom Jobim por Fábio Caramuru, celebrating the 80th Tom Jobim’s anniversary, and the innovative and acclaimed CD Bossa in the Shadows, with the remarkable contribution of the bass player Pedro Baldanza. In November 2010, Caramuru made a Brazilian Music Recital in Toronto (Victoria Chapel / University of Toronto) and a Brazilian Jazz Show at Zinc Bar in New York City. In 2011, an European tour included two concerts with Brussels Philharmonic Orchestra in Belgium, and shows at JazzStation in Brussels and at Jazz Club Moods in Zurich. In 2012, he performed as soloist with ORTHESP, an Orchestra from São Paulo, as well as at the International Jazz Festival in Havana, Cuba. In 2013, he performed at the Club Reserva in Gent, Belgium, and started the researchs for the project EcoMúsica, based on the interaction between sounds of nature and the piano.

In 2014, he directed and performed as solosit in projects such as the one which celebrated Tom Jobim’s 20 years of departure at Caixa Cultural São Paulo, and “Brazil in Two Pianos”, a national tour with the pianist Marco Bernardo, as well as at “Instrumental SESC Brasil”.

In 2015, Caramuru released his CD “Ecomúsica | Dialogues between a piano and the Brazilian fauna”, also available in a Japanese edition since September 2016, by the Japanese label Flau. In April 2016, Caramuru’s innovative video clip EcoMúsica | Cicada was released in a concert at Sala São Paulo.

In 2017, Fábio Caramuru played in eight Japanese cities, and had, as well, a special concert at Auditório Ibirapuera. In the same year, he released a new video, EcoMúsica | Tico-Tico, recorded in Rio de Janeiro, followed by concerts for the project “EcoMúsica | Rio de Janeiro”. His album “Tom Jobim by Fábio Caramuru” as well as “Dó Ré Mi Fon Fon” (27 Brazilian Nursery Songs) were released by Flau in Japan.

In 2018, Fábio released his second album EcoMúsica, “EcoMúsica Aves” (Flau, Japan), having 20 different Japanese birds as inspiration. He has also made two major concerts in São Paulo – Sala São Paulo and Auditório Ibirapuera – both dedicated to the 110th Anniversary of Japanese Immigration in Brazil.

Caramuru also released four new videos “EcoMúsica”: Bem-te-vi, Harpia (with the dancer ismael Ivo), Araras and Hidorigamo (with the ceramcist Hideko Honma), all of them available on his YouTube channel. The video “EcoMúsica | Harpia” was awarded the prize “Masters of Creativity” by the prestigious portal “Catraca Livre”. In 2019, Caramuru keeps developping the “EcoMúsica Project”, presenting it in concerts in Brazil (SESC, Japan House) and Canada, celebrating the 5th Anniversary of “Cafe & Cultura Toronto”, at Granite Club.

References

Caramuru foi o último aluno brasileiro de Magda Tagliaferro, em Paris, com bolsa do governo francês, na década de 1980. Estreou como solista da OSESP, em 1977, tocando o Concerto para piano e instrumentos de sopro de Stravinsky, até então inédito no Brasil. Ganhou diversos prêmios no Brasil, destacando-se o prêmio da Associação Paulista de Críticos de Arte, em 1991. Apresenta-se regularmente no Brasil, Estados Unidos, Ásia e Europa, em recitais solo e com orquestra. É mestre pela ECAUSP.

Em 2007, participou de diversos eventos comemorativos em razão dos 80 Anos do nascimento de Tom Jobim, tendo sido solista da Orquestra Sinfônica da Universidade de São Paulo – OSUSP, na Sala São Paulo, e da Banda Sinfônica do Estado de São Paulo, no Theatro São Pedro.

É fundador e sócio da empresa Echo Promoções Artísticas. Como curador e produtor cultural vem organizando projetos em instituições como Fundação Magda Tagliaferro, Espaço Cultural Correios, Orquestra Sinfônica da USP, Caixa Cultural, Centro Cultural Banco do Brasil etc. Em unidades do CCBB, realizou os projetos “Divas” (2006), “Líricas & Populares” (2007) “Pocket Trilhas” (2008), e, em unidades da Caixa Cultural, os projetos “Concertos Magda Tagliaferro” (2011), “Nas trilhas da Atlântida” (2013), “Tom Jobim, 20 anos de saudade” (2014), “Virtuoses do piano brasileiro” (2015), “Concertos Afro-Brasileiros”, em parceria com a Professora Ligia F. Ferreira (2016) e “Tom Jobim Instrumental” (2019).

Na música erudita, destacam-se: sua participação na gravação da obra “Das Lied von der Erde” de Gustav Mahler, em versão camerística de Arnold Schoenberg (Editora Algol); a realização do ciclo “Dichterliebe” opus 48 de Schumann, com o tenor Fernando Portari, na Sala São Paulo; recitais com repertório franco-brasileiro ao lado da cantora Magda Painno em São Paulo, na FMUSP, no SESC e em Belo Horizonte, no Palácio das Artes; solista da OSUSP no Concerto para dois pianos e orquestra de Poulenc, na Sala São Paulo, registrado pela TV Cultura; solista do Concerto para Piano e Instrumentos de Sopro de Stravinsky, com a Orquestra Filarmônica de Minas Gerais, sob regência de Ligia Amadio; solista do Concerto para piano de Ravel, com a Orquestra Sinfônica de Londrina, sob regência de Elena Herrera.

Após dedicar-se por muitos anos ao repertório tradicional e brasileiro, sobretudo a arranjos e gravações da música de Tom Jobim, Caramuru passou a desenvolver também, desde o ano de 2003, um trabalho autoral diferenciado, com o lançamento do CD Moods Reflections Moods. Entre 2004 e 2012, trabalhou com o contrabaixista Pedro Baldanza, intensificando e aprimorando seu trabalho autoral. O CD do Duo Caramuru-Baldanza, Bossa in the Shadows, produzido por Heiner Stadler, do selo Labor Records, de Nova York, é uma coletânea de composições e improvisações originais.

Ao longo de sua carreira, Caramuru tem realizado uma série de apresentações, tais como concertos com a Orquestra Jazz Sinfônica, solista e arranjador de temas de música para cinema dos compositores Richard Rodgers e Nino Rota, no Auditório Ibirapuera, recital de música brasileira na Universidade de Toronto, début em Nova York no prestigiado Zinc Bar. Realizou dois concertos no Europalia International Arts Festival, como solista da Brussels Phillharmonic Orchestra, em Bruxelas e em Leuven (gravado em vídeo e disponível no Youtube), além de shows de Jazz em importantes casas da Europa, como o Jazz Club Moods em Zurich, apresentações como solista da Orquestra do Theatro São Pedro, em São Paulo, e sua participação no Festival Internacional de Jazz de Havana, Cuba. Em 2013, apresentou-se na Bélgica (Club Reserva de Gent) e em São Paulo (Memorial da América Latina).

Desde 2013, vem se dedicando intensamente ao projeto autoral “EcoMúsica”, baseado na interação entre música e sons da natureza brasileira em seus diversos ecossistemas, bem como ao duo “Brasil em Dois Pianos”, ao lado do pianista e arranjador Marco Bernardo, com quem realizou o projeto “Brasil em Dois Pianos – Turnê Nacional”(Correios), além de concertos na Sala São Paulo e na série Instrumental SESC Brasil.

Em 2015, foi curador do projeto “Virtuoses do Piano Brasileiro”, na Caixa Cultural São Paulo, além do lançamento de uma nova etapa de seu instigante projeto EcoMúsica, o CD autoral Conversas de um piano com a fauna brasileira.

Em 2016, destacaram-se o lançamento do videoclipe Cigarra, o concerto Radamés encontra Jobim, na Sala São Paulo, a curadoria do projeto Concertos Afro-Brasileiros, na Caixa Cultural São Paulo, e a realização de dois “Concertos EcoMúsica” no Jardim Botânico do Rio de Janeiro, por ocasião dos 208 anos da instituição. Em setembro, ocorreu o lançamento de uma edição no Japão do CD EcoMúsica | Conversas de um piano com a fauna brasileira, pelo conceituado selo japonês Flau –  flau.jp –  com distribuição para Ásia, Europa e América do Norte. O sucesso foi tão significativo que o selo Flau agendou uma série de concertos para divulgar o álbum em diversas cidades do Japão, que ocorreu entre abril e maio de 2017.

Outros eventos em 2017 foram o concerto Tom Jobim 90 Anos, em 19 de março, na Sala São Paulo, o Concerto EcoMúsica, em 8 de abril, no Auditório Ibirapuera, o lançamento de seu CD duplo “Tom Jobim by Fábio Caramuru” e “Dó Ré Mi Fon Fon” pelo selo Flau (Japão), sua turnê “EcoMúsica Japan Tour”, em oito cidades japonesas, nos meses de abril e maio. Realizou ainda diversas apresentações um unidades do SESC e do SESI, no estado de São Paulo. Em agosto, lançou o projeto “EcoMúsica Rio”, com o videoclipe “Tico-tico”, filmado no alto do Forte do Leme, além de três concertos na cidade do Rio de Janeiro, com a participação do coro de estudantes da Dupla Escola do Caju.

Em abril de 2018, lançou o álbum “EcoMúsica | Aves”, em um concerto a Sala São Paulo, além do videoclipe “EcoMúsica | Bem-te-vi”. Em maio, o álbum foi lançado também no Japão pelo selo Flau. Lançou também os videoclipes “EcoMúsica | Harpia”, filmado nas Cataratas do Iguaçu, (tendo como convidado especial o dançarino Ismael Ivo), “EcoMúsica | Araras”, filmado no ‘Parque das Aves’, em Foz do Iguaçu. Lançou também o videoclipe “EcoMúsica | Hidorigamo”, tendo como convidada a ceramista Hideko Honma. Realizou, ainda, um concerto intitulado “EcoMúsica | Brasil-Japão”, no Auditório Ibirapuera, como parte das comemorações dos 110 Anos da Imigração Japonesa no Brasil. Recebeu o prêmio “Mestres da Criatividade”, concedido pelo portal “Catraca Livre”, pela realização do videoclipe “EcoMúsica | Harpia”.

Em 2019, Fábio prossegue ampliando e divulgando o “Projeto EcoMúsica”, realizando concertos no SESC, Fundação Japão, bem como no Canadá, tendo sido convidado a celebrar o Quinto Aniversário do “Café & Cultura Toronto”, no mês de maio, naquela cidade.

Discografia

  1. Tom Jobim Piano Solo – 14 faixas (1997 – MC 003)
  2. Especiarias do Piano Paulista – 25 obras de Inah Sandoval e Camargo Guarnieri (1999 – ECHO 199)
  3. Dó Ré Mi Fon Fon – 27 Cantigas Brasileiras – CD infantil educativo do pianista Fábio Caramuru criado em parceria com a artista multimídia Beth Bento. Lançado em 2002, o trabalho traz arranjos inéditos de Fábio Caramuru para piano de 27 cantigas brasileiras, tais como “Sapo Jururu”, “Samba Lelê”, “A Barata”, “O Cravo brigou com a Rosa”, entre outros. Beth Bento idealizou o “sound design” com sons da natureza, de animais, vozes e ruídos, bem como os 27 ícones relativos às cantigas, materializados em um jogo da memória.
  4. Moods Reflections Moods (2004 – ECHO 204) – Primeiro CD autoral do pianista Fábio Caramuru, lançado em 2004 pela Echo. Nesse CD com 10 faixas, Fábio Caramuru rompe com a tradição da interpretação erudita, voltando-se para um trabalho de livre improvisação. A gravação foi feita em uma única sessão em um piano Steinway, modelo D-Concerto, alcançando um alto nível técnico. O CD marca o início do aprofundamento do estilo pessoal do pianista, lançando-o como compositor. O desdobramento desse estilo pessoal de Caramuru pode ser ouvido no CD Bossa in the Shadows, gravado em duo com o contrabaixista Pedro Baldanza, e lançado em 2007 nos EUA.
  5. Canções de Richard Rodgers, com a cantora Magda Painno (2004 – ECHO 104)
  6. Piano: Tom Jobim por Fábio Caramuru – álbum duplo com 28 faixas (2007 – MCD 344)
  7. Bossa in the Shadows – autoral com o baixista Pedro Baldanza – 18 faixas (2007 – LAB 7083)
  8. Gustav Mahler – arr. Schoenberg – Das Lied von der Erde – participação como pianista no conjunto instrumental (Algol 2009)
  9. EcoMúsica | Conversas de um piano com a fauna brasileira – 14 faixas (Echo115)
  10. EcoMúsica | Dialogues between a piano and the Brazilian fauna – 14 faixas (Flau Japan 60)
  11. Tom Jobim by Fábio Caramuru – duplo, 28 faixas (2017 – Flau Japan 65)
  12. Dó Ré Mi Fon Fon (2017, Flau Japan, 66)
  13. EcoMúsica | Aves (2018, Flau Japan)

Referências